Análise livros - Assassin's Creed Renascença




Assassin's Creed se tornou em poucos anos uma das mais famosas e lucrativas franquias de jogos eletrônicos. Tal sucesso fez com que a serie ganhasse versões em outras mídias como quadrinhos, animações e livros, alem disso já esta em desenvolvimento um filme para o cinema baseado na serie. O livro Assassin's Creed Renascença, escrito por Oliver Bowden, chegou ao Brasil pela editora Galera em 2011 e narra a jornada de Ezio Auditore em busca de vingança contra a ordem de templários que assassinaram seu pai e irmãos.

O livro Renascença retrata os acontecimentos mostrados no segundo game da serie, Assassin's Creed II, apesar de ser basicamente a mesma historia, o autor modifica alguns aspectos da mesma, e a principal modificação é ausência do personagem Desmond Miles e dos acontecimentos passados no presente, focando toda a trama em Ezio Auditore que viveu na época renascentista do final do século XV. Para os leitores que já conhecem a trama isso acaba causando certa estranheza, pois Desmond é o personagem central na historia desenvolvida ao longo dos cinco jogos da serie. Outra ausência que me chamou a atenção foi o fato de Ezio não ter a cicatriz no rosto, assim como Altair e Desmond, é apenas um detalhe, mas que tira um pouco da característica que identifica o personagem.

Mas a narrativa não chega a ser prejudicada pelas pequenas mudanças, o autor consegue conduzir de forma coerente a historia de Ezio, mostrando sua evolução ao longo dos anos. Apos o trágico assassinato do pai, Ezio inicia uma intensa busca por vingança, assassinando os responsáveis com crueldade e ódio, mas com o tempo Ezio, através dos ensinamentos do seu tio Mario Auditore, aprende que seu inimigo deve ser respeitado, mesmo no leito de morte, começando assim a matar seus inimigos, não mais movido pela vingança e sim para contribuir com a causa da ordem dos assassinos. Alem disso o livro consegue dar mais profundidade aos relacionamentos de Ezio, tanto com seus aliados, quando com suas paixões, em especial com Cristina, seu primeiro amor, a qual ele é obrigado a abandonar para se dedicar ao credo dos assassinos.

Apesar da narrativa ser bem leve, não se mostrando cansativa nem nenhum momento, em diversos trechos do livro o autor peca ou no excesso, como na necessidade incompreensível de se referir a todo o momento as laminas de Ezio como "armas do codex", ou na simplicidade na retratação das cidades onde a trama se passa deixando o livro um pouco mais "pobre", claro que dificilmente o livro conseguiria causar o mesmo impacto visual que o game oferece, mas uma melhor retratação dos ambientes era o mínimo esperado, para fazer jus aos belos cenários presentes na serie original.

Assassin's Creed Renascença é um bom livro e apesar de apresentar algumas falhas, expande de forma consistente o rico universo de Assassin's Creed, e talvez por essa razão seja mais indicado para leitores que já tenham um conhecimento prévio da trama e queiram vivenciar de um novo ponto de vista a historia de Ezio Auditore.

"Requiescat in pace" - Ezio

Comentários

Postagens mais visitadas