Análise cinema - Prometheus




Com direção de Ridley Scott e com Noomi Rapace, Michael Fassbender e Charlize Theron no elenco, Prometheus mostra uma expedição ao distante planeta LV-223, onde um grupo de cientista espera encontrar a resposta para uma das mais antigas questões da humanidade, qual a nossa real origem?


Para os desavisados, Prometheus nada mais é do que um prelúdio para o filme Alien O Oitavo Passageiro, clássico filme de suspense e ficção cientifica do final dos anos 70. Quando o projeto foi anunciado os fãs ficaram empolgados, afinal o próprio Ridley Scott voltaria para o universo que ajudou a criar e que deu origem a uma das mais fantásticas e mortíferas criaturas do cinema, e a expectativa só aumentou com o primeiro trailer do filme.


Apesar do próprio diretor dizer que o filme não se trata de um novo Alien é impossível não correlacioná-los, muitos dos elementos de o Oitavo Passageiro estão presentes em Prometheus, o design das naves e dos trajes, a exploração de um planeta inóspito e criaturas aterradoras e misteriosas, inclusive o filme responde algumas questões do filme de 1979, como a origem dos Aliens e do enigmático Space Jockey, tais resposta chegam a ser satisfatórias, mas a trama acaba gerando novos questionamentos, como o por que da agressividade excessiva dos "engenheiros" e principalmente quais seus reais objetivos, mas tais questionamentos poderiam ser respondidos no próprio filme e fica nítido que foram deixados sem respostas para justificar uma possível continuação e o final não poderia ser mais clichê e bizarro, não descreverei tal cena para não estragar a surpresa, mas pra mim ele foi totalmente decepcionante e desnecessário.


Todos esperavam um novo Alien, um filme que misturasse suspense, terror e ficção, mas o resultado final fica aquém do esperado. A narrativa é arrastada, não evolui, não surpreende, pelo contrario chega ser obvia em certos momentos e nem mesmo os personagens chegam a cativar o suficiente para querer ver o desfecho da trama, todos são pouco desenvolvidos, um bom exemplo é a própria protagonista, uma cientista e religiosa, que teoricamente serviria para trazer um contra ponto para a teoria de criação apresentada no filme, mas sua "religiosidade" é demonstrado de forma tão gratuita, tão rasa que se torna totalmente descartável. O único personagem que realmente me chamou atenção foi David, Fassbender interpreta de forma competente o andróide de olhar fixo e objetivos obscuros, com toda a certeza os melhores diálogos são quando David esta presente.


Prometheus tinha tudo para dar certo, uma premissa interessante, um aclamado diretor e como base um dos filmes mais surpreendentes do final dos anos 70, mas infelizmente o filme não supera as expectativas criadas e talvez o erro tenha sido justamente esse, criar expectativas que dificilmente seriam atingidas.

“O que você estaria disposto a fazer para conseguir as respostas para suas perguntas?”

.

Comentários

Postagens mais visitadas