Análise games - Spore


"Spore é um jogo de simulação onde o jogador tem a total liberdade ao controlar o nascimento de uma criatura unicelular até a conquista espacial, passando pelas fases celular, criatura, tribal, civilização e espacial. 

Quanto mais lia sobre Spore a nova criação de Will Wright, criador de SimCity e The Sims, me empolgava cada vez mais. Tamanha era minha empolgação que diariamente lia artigo sobre o jogo, o que me fez compra-lo uma semana depois do seu lançamento, o que normalmente não faço.


Na primeira fase do jogo, a fase celular, você controla um ser unicelular em um ambiente aquático, aqui você define se sua criatura será herbívora ou carnívora, mas nada impede de trocar no decorre da fase, conforme vai encontrando novas partes para adicionar a sua criatura. Já na fase celular você tem contato com o criador de criaturas, grande atração do jogo, mas numa versão mais simples. A fase celular é a mais simples dos cinco presentes no jogo, seu único objetivo é se alimentar e coletar novas partes para a sua criatura, o que torna a fase quase que dispensável depois de jogá-la uma unica vez. 

Depois da rápida fase celular, sua criatura cria pernas e você se vê em um imenso ambiente 3D, nessa fase você tem total acesso ao criador de criaturas que lhe dá dezenas de opções para editar a sua cria, mas para isso terá que explorar bastante para encontrar novas partes. Aqui você também interage com outras criaturas que podem se tornar amigas ou inimigas, mas tudo acaba se desgastando rápido de mais depois que você descobre que os únicos objetivos disponíveis são socializar, se alimentar e coletar novas partes. Algo decepciona bastante diante de um imenso ambiente 3D que poderia oferecer mais interatividade e objetivos diversos. 

Na fase tribal, como o próprio nome diz, sua criatura passa a conviver em uma tribo.
Em minha opinião essa é a fase mais fraca de todo o jogo, pois peca e muito na simplicidade e falda de opções, pois aqui você tem acesso a algumas construções que fornece instrumentos ou armas para os membros da tribo que servem apenas para socializar com as outras tribos e só. Não há mais objetivos alem de se aliar ou destruir as outras tribos do mapa.

Na fase da civilização você controla as cidades da sua criatura, que se tornou civilizada e agora pode usar de meios econômicos, religiosos ou (logicamente) militares para conquistar outras civilizações.O criador de criaturas é substituído pelo criador de estruturas e veículos o que é igualmente cheio de opções, vai agradar e muito os jogadores que gostam de criar.
Nessa fase é que tive a minha maior decepção, pois estava esperando uma mistura de SimCity e Age of Empire. Você constrói residências, fabricas e estruturas de entretenimento e construí um único tipo de veiculo terrestre, aquático ou aéreo. Esperava bem mais dessa fase, já que o criador do jogo é o mesmo de SimCity, um inteligente gerenciador de cidades, mas nela não há a liberdade de SimCity, você ate pode editar suas estruturas, mas elas serão sempre as mesmas e você será obrigado a colocá-las em lugares pré determinados. 

A fase espacial é a melhor das cinco fases, aqui a sua civilização atinge a tecnologia espacial e da o primeiro passo para a conquista da galáxia. Aqui você se torna o capitão de uma espaçonave, que tem a missão de explorar a galáxia e expandir seu império. 
Logo que você sai do seu sistema solar e se depara com o tamanho grandioso da galáxia você pensa "vou ter que jogar meses para explorar tudo isso".
Toda a falta de objetivo e opções das fases anteriores é compensada aqui. As opções são muitas tanto nas atualizações e ferramentas da nave, quanto nas diversas missões oferecidas pelas diversas civilizações vizinhas. Aqui a exploração é fundamental, pois há milhares de sistemas, planetas, criaturas, civilizações a serem exploradas e dezenas de missões das mais diversas possíveis a serem realizadas . Para ter uma idéia das minhas mais de 150 horas de jogo, apenas 10 horas foram dedicadas as 4 primeiras fases e o resto foi usado para exploras a galáxia de Spore. 

Alem das cinco fases há a Sporepedia, fantástico sistema de interação dos jogadores de Spore, aqui você disponibiliza suas criaturas na net, possibilitando que outros jogadores a utilizem assim como tem acesso as criações de outros jogadores e acredite você vai passar horas procurando novas criações na Sporepedia. 

No geral Spore é um ótimo jogo, inova por misturar gêneros, mesmo mal explorados, mas com o tempo ele se trona monótono e repetitivo, mais isso será logo remediado, pois assim como The Sims, a Maxis já anuncio expansões para o jogo o que manterá o interesse dos jogadores por um bom tempo. 
Pelo menos até lançarem o inevitável SPORE 2."

Análise publicada originalmente no site GameVicio em 27 de abril de 2010.


Comentários

Postagens mais visitadas