Análise games - Toren


Toren é um game indie de aventura, sendo um dos poucos projetos nacionais, se não for o único, a receber incentivo do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, a famigerada "Lei Rouanet". Foi desenvolvido pelo estúdio gaúcho Swordtales e distribuído pela Versus Evil, lançado em maio de 2015 para PCs e PS4.

Confesso que tinha certa expectativa por Toren, quando ouvi falar pela primeira vez sobre o game, fiquei interessado pelo conceito do game, que buscava inspiração em Zelda e Ico, que assim que o vi na Steam o comprei. Mas infelizmente as expectativas não foram atendidas.

A trama do game gira em torno da Criança da Lua, uma garotinha que está presa em um eterno ciclo de morte e renascimento, seu objetivo é alcançar o topo da enigmática torre na qual se encontra para finalmente encontrar o seu destino, mas para isso terá que enfrentar um temível dragão. 

A narrativa é bem interessante, combinando perfeitamente com o tom enigmático que o game passa, liberando de forma fragmentada informações que contribuem com o entendimento da trama, que tem todo um tom poético e filosófico, tratando sobre as virtudes e defeitos da natureza humana. Apesar de haver toda uma mensagem a ser compreendida em sua narrativa, confesso que não consegui me envolver com ela, talvez justamente por ser enigmática de mais e exigir uma boa dose de atenção para ser totalmente compreendida.

A ambientação é outro ponto positivo de Toren, apresentando cenários bem bonitos e detalhados, não chegam a surpreender, mas são competentes e contribuem com a narrativa do game. O level design é bem simples e os puzzles do game são facilmente resolvidos não oferecendo nenhum desafio. 

A jogabilidade é o grande defeito de Toren, extremamente lenta e imprecisa, a protagonista pode andar, pular, atacar e realizar algumas interações com o cenário, mas isso pode se tornar um pequeno desafio em alguns momentos, pois os controles nem sempre respondem de maneira correta, principalmente ao realizar saltos. Alem disso a câmera fixa acaba mais atrapalhando do que ajudando na movimentação do personagem.

Toren não é um game ruim, de forma alguma, ele tem seus méritos por apresentar uma boa ambientação e uma narrativa enigmática, porem no fim ele se torna apenas um game regular, com uma jogabilidade problemática, não superando as expectativas geradas. Um game que busca passar uma mensagem, mas que o faz de forma tão rebuscada que acaba se tornando desinteressante.

"A ponte celestial se fecha.
O tempo continua seu usual ciclo de luz e escuridão.
Por um breve momento, o dia encontra a noite no horizonte
e, por fim, a lua retorna à casa."


Informações adicionais:
Nota geral: 6,0.
Tempo dedicado ao game: 06 horas.
Conquistas desbloqueadas: 12 de 12.
Dificuldade: Fácil, extremamente fácil.
Fica a dica: Fique atento as estatuas de monges ao longo dos capítulos, elas liberam fases extras que ajudam no melhor entendimento da historia.
Gameplay: Em breve..
Imagens durante a jogatina: Clique aqui.
Vale o preço? Sinceramente, apesar de ter um preço acessível, não vale. Indico que o compre com no mínimo 75% de desconto.
Modo de jogo: Exclusivamente singleplayer.
Idioma: Em inglês, com legendas em português.



Comentários

Postagens mais visitadas